Saw – The Video Game

Fiquei pensando em uma frase para resumir o jogo da famosa série de filmes “Jogos Mortais”: ruim de doer. Assim como a série de filmes, que começou bem com os três primeiros e depois perdeu a noção, o jogo começa de um modo característico da série: você preso a uma cadeira, com uma armadilha mortal, sem saber como foi parar lá. O já famoso bonequinho de bochechas vermelhas aparece e propõe que você lute pela sua redenção, e descubra o valor da vida. Legal!

Depois do um minigame para se livrar da armadilha, (que foi até bem interressante e me animou um pouco) o jogo desanda: enigmas até decentes, inimigos tapados, mortes improváveis e sem realismo. A única parte realmente legal é você ajudar um personagem da serie de filmes a escapar de sua armadilha no final de cada fase, e mesmo assim, só UMA me fez sentir um MÍNIMO de agonia ou de pressa pra livrar o cara da morte.

Alguns minigames e enigmas são  legalzinhos, mas o jogo se resume a entrar em um quarto, enfrentar o desafio antes que o tempo acabe, passar para o outro quarto. Fora isso, enfrentar uns inimigos pouco inteligentes, criar pequenas armadilhas, coletar itens, destravar portas, em um jogo de gato e rato que poucas vezes é interessante ou realmente desafiador.

O jogo tem uma atmosfera escura, que passa uma impressão de loucura e ao mesmo tempo, inteligência do assassino, mas poucas vezes você sente a agonia característica dos filmes. Seu personagem enfiou a mão num vaso sanitário cheio de agulhas? Parece que nem sentiu. Pisou em cacos de vidro? Moleza… É legal o dano que as armadilhas provocam, mas você vê personagens animados morrendo, as mortes que parecem atrair os fãs de Jogos Mortais simplesmente não parecem reais!

Há dois finais para o jogo, que podem ser definidos em uma palavra: Brochantes. Quando você zera, pensa: “Cara, eu passei por todas aquelas fases pra ver isso?!!!” Me desculpem os fãs da série, mas é um jogo igual aos últimos filmes da saga: muito longo, muito vazio, sem sentido, com o único intuito de mostrar mortes “agonizantes e sangrentas” e com um final que todos devem concordar que poderia ser MIL VEZES mais legal! O jogo falhou até mesmo em seu objetivo de levar o jogador a sentir a atmosfera do filme. Aaaa, eu podia falar da jogabilidade também, mas acho que não é preciso depois de tudo isso.

Resumo da ópera: Saw é um jogo dispensável, com história sem sentido, jogabilidade mediana e sem realismo. Siga nosso conselho e gaste seu dinheiro em algo melhor. Ou simplesmente ignore esses avisos e acabe traumatizado. E não vai ser por causa do sangue.

Distribuidor: Konami Digital Enterteinment
Gênero: Ação, Terror
Plataformas: Xbox 360/PS3/PC
PEGI: 18+
ESRB: MATURE
Contém: Sangue e Mutilação, violência intensa, uso de drogas, Linguagem Obscena

Anúncios

~ por Jean Carlos em dezembro 22, 2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: