Star Wars The Clone Wars: Republic Heroes

Uma coisa que George Lucas e tudo que tem a ver com seu nome sabem é extrair o máximo de dinheiro do que quer que seja. O maior exemplo disso é a série Star Wars. Depois de 2 trilogias de filmes, centenas de produtos, além de vários jogos baseados na franquia(alguns memoráveis, outros que deveriam ser esquecidos).

Uma das últimas empreitadas foi a série animada The Clone Wars, que conta os detalhes das guerras clônicas.

Star Wars The Clone Wars: Republic Heroes não é o primeiro jogo baseado na série. Antes dele já haviam saído “Lightsaber Duels” (Wii) e ”Jedi Alliance” (DS). Porém, Repuclic Heroes é a primeira aventura multiplataforma de Clone Wars. O jogo foi distribuído para DS, Wii, XBOX360, PC, PS3 e até para PS2.

O game segue de perto a animação. A história é conta os acontecimentos entre a primeira e segunda temporada da série, e não trás NENHUMA novidade. Isso mesmo. Se você esperava algo de novo na história, esqueça esse jogo. O game parece ter sido feito para o público infantil da animação e acaba tropeçando em vários aspectos.

Como já dito, o roteiro é extremamente fraco. Nada de mais. Se você assiste Clone Wars não terá nenhuma surpresa. Além disso, a maneira como a história é passada para o jogador é um fiasco. Personagens parados, apenas com a boca mexendo.

Os visual respeita a animação. O design dos personagens é o mesmo, tanto na cena como in-game. O problema está todo no cuidado com a parte gráfica. Talvez devido à preocupação de tornar o jogo portável em tantas plataformas acabou prejudicando a qualidade técnica dos gráficos. Texturas fracas, engine com defeito em anti-aliasing, nenhum tipo de sistema de iluminação, perspectiva falha são apenas alguns defeitos encontrados no jogo.

O aúdio está OK. A dublagem é realizada pelos atores do seriado, que desempenham muito bem seu trabalho. A trilha utiliza músicas clássicas dos filmes, além dos temas refeitos para a animação. Nenhuma novidade quanto aos efeitos sonoros. Um problema é quanto aos passos dos personagens: eles trocam de terreno, mas o som é o mesmo.

O maior problema está na jogabilidade. O jogo utiliza um sistema parecido com os “Lego Wars“, porém, junto com os defeitos gráficos e câmera ruim, é comum que você morra enquanto está tentando pular em uma plataforma. Outro grande problema são os controles. Todos os personagens Jedis são iguais, seguindo o modelo de Button Smash, não tendo nenhuma particularidade. O mesmo acontece com os clones, que funcionam num modelo TPS(Third Person Shooter). Aliás, deve haver algum problema em um jogo de Star Wars onde é mais divertido jogar com um clone anônimo do que com um Jedi.

O jogo torna-se repetitivo muito facilmente. Afinal, tudo o que você tem que fazer é matar droids. Nem a utilização da “Força” no jogo ajuda, pois nesse jogo ela não serve pra muita coisa (pra não dizer “nada”).

A única alternativa de diversão talvez esteja no co-op. Porém acaba virando quase um jogo casual. Uma disputa pra ver qum mata mais droids.

O que resta é guardar o sabre de luz por enquanto e esperar que “Old Republic” traga o mesmo ânimo que “Force Unleashed” trouxe para os fãs.

E assim continua a saga dos fãs, que como eu, precisam engolir de vez enquando uma porcaria na espera de uma boa aventura numa galáxia muito muito distante.

PRÓS:

  • Possui Co-op;
  • Dublagem bem feita;
  • Tem o Yoda como tutorial!

CONTRAS:

  • Gráficos péssimos;
  • Jogabilidade mal-feita;
  • Roteiro extremamente fraco;
  • Poderia continuar listando defeitos mas não gosto de falar mal de Star Wars.

Gênero: Ação/Droid Killer
Distribuidor:
LucasArts
Pataformas:
DS/Wii/PC/Xbox 360/PS3/PS2
PEGI: 12+
ESRB:
Teen
Contém:
Violência fantástica

A história: No ano de 2077, a guerra atômica finalmente arrasou o mundo, transformando os seres vivos restantes em mutantes gosmentos. No ano de 2277, você, um sobrevivente de um cofre subterrâneo para preservação da humanidade sai do conforto em busca de seu pai desaparecido no mundo “lá fora”. Segue-se uma seqüência de piadas de humor negro com relação a radiação, guerra e morte. Esse aspecto cômico é um dos pontos fortes do jogo, pois cada item, personagem e quest tem alguma referência, e também pelo fato da equipe de criação ter balanceado bem momentos tensos e engraçados.
Anúncios

~ por Fabio Alves em janeiro 13, 2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: